30.9.14

Dica de leitura: A menina que colecionava borboletas

"A verdade é que a vida da gente é curta demais para deixarmos que a transformem em um tribunal e fiquem julgando o que é ou não apropriado." - Bruna Vieira (pág 23)
Autora: Bruna Vieira
Editora: Gutenberg 
ISBN: 9788582351222
Ano: 2014
Páginas: 152
Classificação:  (Excelente) 
Onde Comprar: Submarino | Americanas | Livraria Cultura 
Lembro da primeira vez que entrei no blog Depois dos Quinze da Bruna Vieira, foi há muito tempo. Uns 4 anos atrás, era um layout com fundo jeans de uma garota de 16 anos mais ou menos, do interior de Minas. Eu estava pesquisando crônicas pra publicar no meu antigo blog - nem lembro o nome - que eu só copiava e colava textos de autores legais como Martha Medeiros. Dai encontrei a Bruna, foi amor à primeira frase. E até hoje é assim. É claro que hoje admiro a Bru por uma infinidade de coisas, mas minha maior paixão nessa menina são as palavras. Crônica é um gênero que eu A-M-O. Junta uma das minhas autoras favoritas com meu gênero literário favorito...é 5 estrelas na certa :P
"A menina que colecionava borboletas" é uma reunião de crônicas e contos da Bruna, algumas já publicadas no blog dela, outras não. No livro ela faz relatos de sua vida e divide com os leitores experiências de diversos tipos, desde morar sozinha em uma cidade grande, namoros, autoestima e mais um montão de coisa, afinal é assim a vida de uma adolescente em transição pra vida adulta, não é? Cheia de confusões, sentimentos, sonhos, vontades e a autora consegue passar pra gente uma série de emoções com cada crônica. 

Uma das coisas que eu mais amo na escrita da Bruna é que ela consegue falar com você através do texto como se fosse sua melhor amiga te dando um conselho/aviso/dica e não deixa cair isso no livro de autoajuda (o que eu geralmente não gosto tanto!). E isso é muito bom, já vi muitas meninas falando que parece até um diário próprio e é verdade, praticamente impossível não se identificar com a maioria dos textos. E você aprende com textos que não são manuais, a vida não vem mesmo com um manual, certo?

Vou confessar que eu achei que encontraria bem menos crônicas de amor nesse livro do que como encontramos no livro Depois dos Quinze (que eu tanto adoro!), mas o que somos nós sem esse sentimento? Nadinha, vai. Mas também vou confessar que na maior parte do tempo não sou uma pessoa sentimentalista, então se você se parece comigo eu recomendo que você leia qualquer coisa com romance quando estiver em um climinha de amor, assim você aproveita bem mais a leitura e a profundidade que ela tem pra te oferecer, como os versos desses livros. Eu li sem estar apaixonada, vou ter que reler as crônicas de amor dele qualquer hora hahaha. O bom é que o livro me fez querer perder o medo desse sentimento, é verdade morro de medo de me apaixonar (acho que ele me encorajou um pouco demais também, estou abrindo meu coração kk O.o) E claro, tem os textos que fala de autoestima, de sonhos, amadurecimento, e foi a parte que eu mais curti. A mensagem que ela passa é algo que temos que considerar acima de qualquer coisa,. Você vai se surpreender e aprender muito com a leitura.
A delicadeza da autora nas palavras e a simplicidade é de conquistar qualquer leitor. Como eu disse, você vai se sentir conversando com a melhor amiga. Aquele papo simples, não precisa de muito drama, e as vezes poucas palavras bastam! Além disso, ainda somos presenteados com ilustrações encantadoras da fofa Malena Flores, que está de parabéns por cada detalhe, tudo lindo e apaixonante tanto as coloridas como em preto e branco. Mas o destaque vai mesmo para a capa, né? Essa capa é uma das melhores que já vi desde sempre e uma das minhas favoritas da minha estante. Retrata tudo o que fala no livro, amadurecimento, amor, delicadeza, autoestima. Incrível, parabéns pra toda equipe que trabalhou junto com a Malena.
É isso gente, eu achei que vocês não iam querer uma resenha de um livro já tão popular, aliás a Bruna foi um dos grandes destaques da bienal do livro 2014, mas foi muito pedida nas redes sociais então não poderia deixar de compartilhar minha visão do livro aqui com vocês. Resumindo, eu amei e engoli o livro de tanta ansiedade, é uma leitura bem rápida, mas você pode ler com calma, uma crônica por dia que vai ser ainda mais gostoso. A autora alcançou o objetivo e isso é o mais importante. A última crônica, leva o prêmio da melhor de todas: Borboletas . Agora só falta o "De volta aos sonhos" para minha coleção!

"O final feliz existe. Mas a cada página que você vira. Os livros preenchem a estante. Que, por sua vez, ocupa a sala. Seu lugar preferido na casa. Desde que começou a ler sozinha." - Bruna Vieira (pág 73)

Gostaram? Quem tá louco pra ler o livro? E quem já leu, conta pra mim se gostou também (:

Supeeeer beijo,

27.9.14

Vlog: Balada Capricho 2014

Adivinha quem agora tem câmera? EU!!!! E vocês sempre pedem vlogs e tal, só que antes eu não tinha como fazer, e finalmente agora posso compartilhar mais momentos com vocês então aguardem muitos vídeos. Quando compartilhei a foto dos convites pra Balada Capricho (que também fiz um concurso aqui no blog) sugeriram pra eu gravar os melhores momentos da balada CH e eu gravei, IUPI. Tentei fazer algo legal pra vocês e espero que se sintam lá na balada comigo :D

Sei que estão loucas pelo vídeo da bienal (uma das leitoras até me cobrou na balada, adoro!), mas sai em breve! Enquanto isso fiquem com meu segundo vlog gravado, mas o primeiro que vai ao ar, então me desculpem as falhas desde já hehe, e me deixem sugestões pra ficar cada vez melhor, ok? 
A Balada rolou dia 21/09 e foi bem louco. Eu não conseguia ficar o tempo todo com a câmera e nas ruas não dava pra gravar, afinal estamos no Brasil e só de olhar a hora você perde o celular. Então tem eu me arrumando- não considere dicas de moda e beleza, não sou bem entendida disso hahaha e nunca vá de salto, fui tão burra. - e depois a gente sai pra festa, já atrasadas lá pras 17h. O metrô estava parado na metade do nosso caminho, pegamos um ônibus, erramos, voltamos, pegamos outro, descemos no meio do nada, pedimos informação, depois de 30 minutos andando chegamos ao local, eu já com o pé cheio de bolha e não aguentando ficar em pé (as leitoras que estavam por perto deve ter me achado muito chata kkk), com esse tal de paetê arranhando meus braços, mas filmei tudo de melhor pra vocês rs. Me diverti, mesmo toda lascada e tal, mas no fim deu tudo certo! Espero que gostem, viu? E tem bastante fotos pra vocês também. Ah, minha irmã também postou várias fotos no Instagram @Smile_lolaa (:


Minha amiga linda e blogueira Auana do Vitamina Trendy, e a leitora que venceu o concurso no blog dela. Essa linda disse que acompanha a gente nas redes sociais e blog, mas não gosta de livros e mesmo assim é seguidora do #DA, acho que tenho que preparar uns posts especiais pra mais leitoras como ela, será? Fofa, um beijão.
 Com a linda da Bia, leitora fiel do blog. Virou amiga já.
 Mais uma leitora linda, já tínhamos nos conhecido na Bienal e nos reencontramos na balada. Beijos, Vitória.
Leitoras que ficaram curtindo a balada comigo, adorei conhecer vocês. E desculpa ter ficado sentada um tempão, era tudo dor nos pés haha!
Finalmente, conheci a Gabriela Zocchi. Ela é da equipe da Capricho e quando eu venci o Teen Web Awards foi ela quem teve que me aturar no telefone e nos e-mails haha. Obrigada por tudo Gabi, você é incrível e um amor de pessoa!
Produtos da Joy que recebemos na saída, é tudo tão cheiroso! E a sacola é linda demais! (:

Gostaram? Se inscreva no canal do blog no Youtube, assim você não perde nadinha!

Supeeeer beijo,

25.9.14

Meu Imortal

Não parar, esse era o meu lema. A velocidade e o vento traziam esse sentimento único, como se todos os meus problemas nunca tivessem existido, mera ilusão, pois no fundo, eu sabia que tudo isso era momentâneo! Quando eu pisasse o freio, tudo viria à tona. Todas as minhas preocupações voltariam, por isso resistia ao máximo para não parar.

Nesse momento, eu estava imersa em minhas próprias lembranças emaranhadas em sentimentos de tristeza, culpa e saudosismo. No meio delas, encontrei uma em especial do meu amado vô, calmo, como sempre foi. O tipo de pessoa que deixava sua felicidade de lado e fazia de tudo para arrancar dos outros um sorriso. Normalmente, eu sempre pegava o seu carro escondido, para minhas preciosas fugidas de realidade, mas ele simplesmente ignorava, era como se não estivesse quebrando nenhuma regra.

O senhor de barba branca sabia que correr me fazia feliz e, para ele, isso bastava. Só que agora esse altruísmo constante me irritava, porque ele simplesmente deixava de cuidar de si próprio. E, droga, o resultado disso, não afetava apenas ele.

Estava escuro, fazia algum tempo que eu estava parada em frente de casa, porque quando cheguei ali o céu ainda estava claro. Eu simplesmente estava presa nas minhas angustias, não conseguia sair para encarar realidade, ela machucava. Ficar dentro do carro continuava a ser uma melhor opção do que enfrentar o mundo de frente.

Só que infelizmente, algo dentro de mim sabia que mais cedo ou mais tarde teria que sair e a luz da sala acesa, me indicava que esse era o momento.

- Isabela! Graças a deus que você está bem! – aquela voz preocupada, revirou meu estomago, e acendeu minha ira. Minha vontade era de gritar – Não é comigo que tem que ficar preocupada-, mas me segurei, não queria magoá-lo ainda mais. Ele era alto, olhos claros e cabelo grisalho, aparentava ter um 60 anos. Já dava para perceber seus anos de vida em sua expressão, mas quem o via, não diria que aquele velho jovem teria apenas alguns meses de vida, como foi dito mais cedo por seu médico.

 - Isabela, não faça isso novamente. – o ouvi novamente.

A porta estava aberta e o espaço que nos separava era quase nada. Quem me viu naquela situação, ficou surpreso da minha capacidade de estar em pé. Eu estava branca, igual um giz. Mas, eu não poderia mais adiar aquela situação.

- Vô – minha voz saiu tremida e quando vi estava nos braços do meu porto seguro. Já não tentava segurar as lagrimas. Meu desejo era ficar ali, para sempre. Para mim, não importava o que outros queriam, eu queria apenas meu vô para sempre comigo. Imortal.

Beijos, Bruna

22.9.14

Dica de Leitura: Garoto encontra garoto

"Eu não acredito em abraços parciais. Não consigo suportar gente que tenta abraçar sem tocar. Um abraço deve ser completo." (pág 119)
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501047779 
Ano: 2014
Páginas: 240
Classificação:  (Excelente) 
Onde Comprar: Travessa | Saraiva | Livraria Cultura
Preparem os corações porque o livro de hoje é um romance. Garoto encontra garoto é mais um livro do autor David Levithan muito conhecido por trabalhar a temática gay, então por acaso se você for uma daquelas pessoas chatas homofóbicas não vai querer ler então nem precisa perder seu tempo com a minha emotiva resenha e nem com o LINDO livro, mas se você é uma pessoa mente aberta, de bem com a vida, continua que vale a pena. 

O livro conta a história de Paul que estuda em uma escola bem diferente do comum, onde existe uma aliança entre gays e héteros a rainha do baile é uma quarterback drag-queen. O melhor amigo de Paul, Tony que também é gay, está passando por um momento difícil na sua vida: se assumir para os pais super religiosos que não aceitam sua orientação sexual. Sua melhor amiga Joni, está namorando um cara babaca e faz o tipo que a gente já conhece, começa a namorar abandona os amigos. E ainda, seu ex-namorado Kyle quer deixar de ser ex. Eita. Típica vida adolescente, cheia de confusão, amor e diversão.

Foi durante um show em uma livraria que Paul conhece Noah e eles descobrem que estudam na mesma escola. O clima já ficou no ar, aquela coisa de amor a primeira vista, sabe? As coisas simplesmente vão acontecendo, de uma forma que te prende pra saber qual o próximo passo, mas sem te fazer ficar enjoado com tanta dramatização que existe no romance. E isso é muito legal. Claro que no decorrer da história acontecem os conflitos, mas tudo se desenvolve muito bem. O livro que é narrado em primeira pessoa é bem leve, como o foco não é o preconceito isso deixa tudo mais tranquilo, você está em um livro de romance como outro qualquer, com o diferencial que o livro é muito bom. Uma das coisas que não me atraem em livros de romance é famoso "mela mela", não leio muita coisa do gênero porque sempre fica focado naquele amor obsessivo e louco, mas felizmente não é o caso de "Garoto encontra Garoto". Ah, no final tem um capítulo surpresa bem legal ;)
E no livro assim como em nossas vidas rola muita coisa. Muitas histórias, amizades, conselhos, estudos, e isso faz com que não seja cansativo. Eu gostei muito do desenvolvimento dos personagens, do modo como o autor cria quase que um mundo paralelo pra criar um ambiente tão natural, porque sério se essa escola existe, me leva pra lá agora. Vou aproveitar pra deixar um desabafo, um dia desses em uma aula da minha faculdade - curso Jornalismo - surgiu o tema Homossexualidade para falar sobre o ícone da família. E o tanto de comentários homofóbicos que surgiu foi absurdo. Desde os meus 12 anos +/- eu estudei e convivi com gays, travesti, lésbicas, héteros, negros, brancos, e eu juro pra vocês, não vejo diferença nenhuma entre qualquer um deles. O que eu vejo é puramente personalidade. Sempre presenciei o preconceito também, isso é de longa data, mas depois de ter estudado um ano e meio em uma escola técnica onde ninguém estranhava a orientação sexual do outro, eu realmente criei uma esperança no mundo. Depois disso ainda fui pra outra faculdade e de novo, arrumei um melhor amigo gay. O preconceito parecia estar desaparecendo, mas infelizmente esses dias o destino mostrou o contrário na minha realidade, mas ainda bem que tinha acabado de ler esse livro tão emocionante, e eu acredito que as pessoas podem ser livres e simplesmente amar outra pessoa seja ela do mesmo sexo ou não, e isso não deve ser um drama tão grande como é. O livro mostra exatamente isso, amor é amor e pronto. 

A história tem drag-queen, gay, lésbica, heterossexual, bissexual, gente que só experimentou, tem de tudo e o autor nos mostra que nada disso é errado. Ele descreve como se falasse da cor do cabelo, e isso era exatamente o que eu queria encontrar. David Levithan entrou para a lista de autores que se eu souber que o livro é dele, eu compro. Você pode não amar a capa e nem a sinopse, mas espero que pela minha resenha você sinta o quanto esse livro pode ser especial. Obrigada por isso David, você fez permanecer uma esperança em mim que achei que a sociedade tinha levado, e que o mundo um dia possa ser como esse do livro. 

Quem ficou curioso pela leitura e já colocou na lista de desejos? :D Se alguém leu me conta se gostou também!

Supeeeer beijo,

ou Mabel. Paulista 18 anos. Apaixonada por livros, louca por filmes, viciada em doces e música, futura jornalista e grande sonhadora. Vem compartilhar seus desejos comigo ♥ contato@desejoadolescente.com

 
Desejo Adolescente © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Candy Reis :: voltar para o topo