16.5.16

Deslocada

Foto: We Heart It

Sinto-me deslocada. Novamente, ou ainda. Na minha adolescência sentia que não me encaixava em nenhum grupinho, nada parecia com o que eu realmente era ou queria ser. Um pouco mais velha, percebi que não era tão legal quanto parecia, me sentir adequada a um certo grupo, tudo bem ser diferente dos outros que estão ao seu redor. E agora, vejo-me mais uma vez, ansiando por um encaixe. É difícil ser diferente, não querer o que todos querem, não ter sonhos comuns, gostos incomuns, ou só não ser parecido com quem está por perto. Sinto que estou perdida, por fora, longe de tudo, desde os lugares que as pessoas gostam de frequentar, até os meus sonhos que parecem cada dia mais loucos.

Eu gosto assim, de sonhos que me fazem querer ir além, que enchem meus olhos de lágrimas só de imaginar a realização. Não gosto de sonhar pequeno, ou a distância que irei percorrer será mínima. Não quero mínimo, quero o máximo, quero ir longe. E muita gente chama isso de loucura, que seja. 

Troco facilmente uma balada por uma sessão de cinema. Não posso passar em frente a uma livraria que quero ficar horas. Maratona de seriados no fim de semana. Adoro a vibração de shows também! Mas no fim, há poucas pessoas no dia-a-dia que gostam de coisas assim. E apesar de muitas vezes gostar da solidão ou de minha própria companhia, seria bom um ombro amigo para dividir toda essa confusão. 

Talvez eu esteja cobrando muito dos outros, sem me permitir viver coisas diferentes, mas o vazio tem batido na porta, de todos os lados, e um desabafo textual é sempre bom um refúgio. Passamos pela crise adolescente, depois das dos vinte e poucos, trinta e poucos. Só me diz, quando é que essa turbulência existencial acaba? Aquele felizes para sempre da realidade, que a gente se encontra no mundo, existe?

Não sei, mas me parece distante.

Acompanhe nas redes sociais
Twitter | Instagram | Youtube | Facebook
Snapchat: CAMILAMABELOOP

Comente com o Facebook:

4 Comentários

  1. Amei o texto, me identifiquei demais. Parecia que era eu quem estava falando tudo isso.

    www.diariodeumajujuba.com.br

    ResponderExcluir
  2. Só digo uma coisa: CADÊ A GENTE MORANDO NA MESMA CIDADE? <3 Amei seu texto, Mabel. De certa forma eu me identifiquei também, estava até falando com minha amiga esses dias, que é muito diferente você criar relacionamentos e amizades à partir de afinidades. Às vezes a gente acaba convivendo 90% do tempo com pessoas que não tem nada a ver com a gente e que não aceitam as coisas que a gente gosta ou quer pras nossas vidas, e aí acabamos pensando que o problema é a gente por sermos diferentões~, hehe. Mas continue sempre com seus sonhos, manias e tudo que você ama, que assim você atrai pessoas que talvez nem sejam como você, mas que topam tudo isso de qualquer forma <333

    ResponderExcluir
  3. Sthefane6/03/2016

    Que texto lindo.
    Parabéns, Mabel!😍

    ResponderExcluir
  4. Nossa!amei msm, me acho muito parecida com vc, bom saber q ñ sou a única á passar por isso, sei bem como é! Querer ler um livro enquanto todos querem curtir um show, valeu msm, vc ñ sabe o quanto me deixa feliz de saber q existe pessoas como eu! Valeu msm <3

    ResponderExcluir

Deixe um recadinho com amor e será retribuído <3

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Desejo Adolescente - 2016. Todos os direitos reservados. Design e programação: Folks Creative Studio. imagem-logo